Endereço

Rua S-6, Qd. S-4, lt. 11, nº 146,
1° andar (Próx. ao Pq. Areião). Setor Bela Vista

Ligue

(62) 3089-0978
(62) 98660-0978

Alimentação ajuda a combater efeitos da artrite reumatoide

Alimentacao-ajuda-combater-efeitos-artrite-reumatoide
Índice

Muitas pessoas conhecem a artrite reumatoide, uma doença inflamatória crônica que provoca dor e inflamação nas articulações. O que poucas pessoas sabem é que a nutrição tem papel fundamental para ajudar no tratamento de doenças inflamatórias visto que a inflamação não é restrita a articulação, mas sim de forma sistêmica.

A artrite reumatoide ocorre com mais frequência em mulheres do que em homens e a incidência aumenta com o avanço da idade. Pacientes com a doença apresentam uma redução na expectativa de vida devido ao risco aumentado de doenças cardiovasculares, como por exemplo, infarto. Também pode diminuir os níveis de HDL (colesterol bom) e desencadear síndrome metabólica (caracterizada pela obesidade, alteração nos níveis de colesterol, triglicérides, glicemia e hipertensão).

Nosso corpo está exposto aos alimentos diariamente e, por uma hipersensibilidade a eles, muitas macromoléculas dos alimentos podem atravessar o epitélio gastrointestinal e ter acesso a circulação, desencadeando processos inflamatórios. Pessoas mais suscetíveis a respostas inflamatórias sofrem mais as consequências fisiológicas da artrite reumatoide.

Neste ponto, a deficiência de vitaminas e minerais pode agravar a falta de resposta imunológica, em função do estilo alimentar e de vida inadequado que é vivenciado pela maioria das pessoas, como altos níveis de estresse, alimentação rica em gordura, açúcar, leite, glúten, conservantes, corantes, má mastigação e alto consumo de líquido durante as refeições.

Todos esses e muitos outros fatores colaboram para o que chamamos de disbiose intestinal, que é o desequilíbrio da flora bacteriana intestinal. Essa disbiose é causada pela diminuição do número de bactérias boas do intestino e aumento das bactérias capazes de causar doenças, reduzindo a capacidade de absorção dos nutrientes e causando também a carência de vitaminas.

Por isso, seguem algumas dicas para minimizar os efeitos da doença através da alimentação:

• Retirar ou controlar alimentos com potencial inflamatório e alergênico;

• Incluir alimentos antiinflamatórios, como o ômega-3;

• Controlar a permeabilidade intestinal;

• Incluir probióticos para equilíbrio da flora intestinal;

• Fornecer antioxidantes, fitoquímicos e adequar os nutrientes envolvidos neste processo, como a vitamina C (que reduz os níveis de histamina, melhorando o processo inflamatório), ácido pantotênico, zinco, manganês e ferro, que são deficientes entre os reumáticos.

Compartilhar Post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Post Relacionados

Lesão no joelho? É possível tratamento sem cirurgia

Com frequência recebemos no consultório pacientes com lesão do Ligamento Cruzado Anterior (LCA). As causas…

Antes do exercício físico consulte um ortopedista

A busca por uma vida mais saudável, que combine alimentação equilibrada e atividade física regular,…

Buscando Ortopedia Especializada?

Temos um time de especialistas para cuidar de você!

ortopedia-clinica-goiania-coe